Participação Política

Resumo

A atual conjuntura nacional e internacional tem impactado a relação entre participação e democracia, desafiando os pressupostos que conformam nossa área de investigação. Diante desse cenário, estimulamos a apresentação de trabalhos em torno dos seguintes eixos: a) novos atores e dinâmicas da participação em contexto de desdemocratização; b) balanços e perspectivas da participação institucional; c) emergência de novas formas de representação, como os mandatos coletivos, e a interação de ativistas com partidos e eleições; d) movimentos sociais, Estado e políticas públicas; e) redes sociais e ativismos; f) protestos, repressão e a dinâmica movimentos/contramovimentos. 

Justificativa

O tema em questão se justifica pela centralidade que as práticas participativas vêm assumindo nos contextos nacional e internacional marcados, paradoxalmente, pela expansão da democracia formal e por diversas manifestações que evidenciam sua crise. No plano doméstico, às experiências institucionalizadas de participação social nos diferentes níveis da federação, somam-se às ondas de protestos e outras formas de manifestações que ocorrem tanto presencial quanto virtualmente, estimuladas pelas novas tecnologias de comunicação. A AT de Participação Política, desde de sua criação em 2012, vem tornando-se um espaço privilegiado de debate e interlocução entre estudiosas do tema que buscam explicar esta nova conjuntura por meio da análise das motivações, modos de atuação, conexões e finalidades que esta pluralidade de práticas assume nas sociedades contemporâneas.