Política Comparada

Resumo

Esta área temática representa um campo de estudos que se caracteriza pela natureza comparativa das suas abordagens e pela diversidade de métodos, qualitativos e quantitativos, para o tratamento de diferentes temas. Desde a proposição dos métodos da semelhança e da diferença por John Stuart Mill, a política comparada tem sido aprimorada para se aprofundar em poucos casos ou explorar as relações entre variáveis em um grande número de casos. Mais recentemente, tem se afirmado a tendência de utilização de métodos mistos em um mesmo estudo. Além da diversidade metodológica, a política comparada abrange uma gama ampla de temas, tendo em comum a preocupação em comparar os casos de estudo.

Justificativa

A área de Comparative Politics é comum nos departamentos de Ciência Política de universidades prestigiadas em várias partes do mundo, para o estudo das dinâmicas política e social de outros países que não só os que abrigam essas instituições, fazendo a comparação de experiências e resultados e elevando a confiabilidade e a possibilidade de generalização das conclusões. Dessa maneira, comparativistas especializados(as) nas diferentes regiões do mundo, inclusive a América Latina, têm se formado e aprimorado. Com a projeção de uma escola quantitativista de comparação, a tradição qualitativista intensificou sua atenção com os métodos e se aperfeiçoou, a partir das contribuições, por exemplo, de Charles Ragin e colaboradores, que difundiram a abordagem conhecida pela definição em inglês de Qualitative Comparative Analysis (QCA). Inserida nesse contexto do campo de conhecimento, a AT de Política Comparada busca contribuir para a formação e o estímulo ao trabalho de comparativistas e latinoamericanistas no Brasil e abrigar estudos de temas novos e tradicionais na Ciência Política brasileira que se desenvolvam em uma perspectiva comparada.