Anais

Anais Eletrônicos: IX Encontro da ABCP

ISBN: 978-85-66557-01-5

Vitor Eduardo Veras de Sandes Freitas

Qualitative Comparative Analysis (QCA): usos, possibilidades e limites para a análise da dinâmica da competição eleitoral no Brasil pós-1994

Sessão: SAT 76 | Implicações da escolha metodológica sobre o conteúdo da pesquisa

Área temática: 4 - Ensino e pesquisa em Ciência Política e Relações Internacionais

Apresentado em: quinta-feira, 7 de Agosto de 2014 - 16:30

Arquivo: qualitative-comparative-analysis-qca-usos-possibilidades-e.pdf

Este paper tem como objetivo central discutir o uso, as possibilidades e os limites da aplicação de Qualitative Comparative Analysis (QCA) para análise de fenômenos políticos ao nível subnacional. Tradicionalmente empregado para análise comparativa entre países, nós argumentamos que a QCA tende a ser um importante recurso para das variações regionais no federalismo brasileiro. Voltada fundamentalmente para a comparação de variáveis qualitativas em pesquisas com número médio de casos, a QCA é uma importante ferramenta metodológica para análise comparativa que tem se desenvolvido na literatura internacional e que foi, até o presente momento praticamente ignorada pela literatura nacional. Para ilustrar o argumento, nós aplicamos QCA à análise da lógica de formação de coligações eleitorais no Brasil para as eleições presidenciais entre 1994 e 2010 e demonstramos como, a despeito das variações regionais, há uma estratégia que guia os principais partidos na disputa, pautada pelo cálculo dos custos e benefícios envolvidos na multiplicação de votos em contextos com competitividade variada.

Vitor Emanuel Marchetti Ferraz Júnior

Ensino e pesquisa em Políticas Públicas – a proposta interdisciplinar da UFABC

Sessão: SAT 62 | Formação e Profissionalização

Área temática: 4 - Ensino e pesquisa em Ciência Política e Relações Internacionais

Apresentado em: quinta-feira, 7 de Agosto de 2014 - 14:15

Arquivo: ensino-e-pesquisa-politicas-publicas-proposta.pdf

Este trabalho visa apresentar e discutir a proposta interdisciplinar da UFABC de formação integrada em Políticas Públicas.

Viviane Gonçalves Freitas

O jornal Mulherio e sua agenda feminista: primeiras reflexões à luz da teoria política feminista

Sessão: SAT 79 | Representação de gênero, reconhecimento político e feminismos

Área temática: 7 - Gênero, Democracia e Políticas Públicas

Apresentado em: quinta-feira, 7 de Agosto de 2014 - 16:30

Arquivo: jornal-mulherio-e-sua-agenda-feminista-primeiras-reflexoes.pdf

Este artigo corresponde aos esforços iniciais para o trabalho de análise da imprensa feminista brasileira, atuante entre as décadas de 1980 e 2010. Mais especificamente, aqui será abordada a agenda do jornal Mulherio, que circulou de março/1981 a julho/1988. Entre os temas verificados no primeiro levantamento, estão: movimento feminista; creche; maternidade; aborto; divisão sexual do trabalho; cuidados com os filhos; família e arranjos familiares; licença-maternidade; e licença-paternidade.

Wagner de Melo Romão

Política em instituições participativas: efetividade, mobilização e diversidade associativa em experiências de orçamento participativo

Sessão: SAT 37 | Participação nas Instituições Políticas: atores, impacto e metodologia de análise

Área temática: 9 - Participação Política

Apresentado em: quarta-feira, 6 de Agosto de 2014 - 14:15

Arquivo: politica-instituicoes-participativas-efetividade-mobilizacao.pdf

A partir do debate atual sobre a efetividade das instituições participativas (IPs), o paper propõe um olhar sobre as IPs que coloque foco sobre a categoria "mobilização política", de maneira a retomar a natureza mais propriamente política da participação, trazendo à tona o tema da disputa pelo poder e sua manutenção. Além da análise da literatura pertinente, o trabalho tem como base empírica o estudo sobre quatro experiências de orçamento participativo (OP) ocorridas em Diadema, Guarulhos, Osasco e São Bernardo do Campo. Indica-se que a distintas finalidades políticas do orçamento participativo corresponde a mobilização de perfis diversos de participantes, no que se refere à sua filiação institucional a partidos políticos, movimentos sociais, organizações não-governamentais, sindicatos e grupos políticos. Coloca-se o dilema: quanto mais central na administração municipal se mostra a experiência de OP, mais próximo se coloca do referencial político-partidário e, por conseguinte, distante do ideal participativo que os sustentam.

Wagner Tadeu Iglecias

Políticas públicas de combate à pobreza na América Latina nos anos 2000 em perspectiva comparada

Sessão: SAT 63 | Políticas públicas comparadas

Área temática: 5 - Estado e políticas públicas

Apresentado em: quinta-feira, 7 de Agosto de 2014 - 14:15

Arquivo: politicas-publicas-combate-pobreza-america-latina-nos-anos.pdf

O artigo tem por objetivo prover uma perspectiva histórica e comparativa das políticas de combate à pobreza na A. Latina. Especial atenção é dada ao período de emergência do neoliberalismo no fim dos anos 1980, e, na seqüência, aos anos 2000. O foco cronológico se justifica pela mudança de paradigmas em relação à participação do Estado não só na economia, mas também nas políticas sociais, em especial as destinadas a combater e/ou reduzir as mazelas históricas que caracterizam a região. Utilizou-se 3 modelos distintos destas políticas: Brasil, México e Venezuela. O México, embora precursor ainda no fim dos anos 1980 dos programas sociais preconizados pelas instituições multilaterais, acabou, 2 décadas depois, não logrando os mesmos êxitos que Brasil e Venezuela em relação à diminuição da pobreza. Esta, por sua vez, tem colecionado indicadores importantes, especialmente a partir dos anos 2000, por conta da inversão de prioridades em relação à renda aferida com a exportação de petróleo e o forte investimento em políticas sociais. Já o Brasil apresenta índices absolutos sem paralelo no continente, possibilitados por políticas voltadas à estabilização e ao crescimento da economia e ao investimento em programas sociais abrangentes.

Wendel Antunes Cintra

Povo, sujeito oculto: a democracia no programa político da esquerda brasileira (1930-1935)

Sessão: SAT 08 | Liberalismo, socialismo e democracia

Área temática: 10 - Pensamento político brasileiro

Apresentado em: terça-feira, 5 de Agosto de 2014 - 14:15

Arquivo: povo-sujeito-oculto-democracia-programa-politico-esquerda.pdf

Este artigo examina as concepções de democracia na esquerda brasileira entre 1930-1935, em particular aquelas expressas nos manifestos da Aliança Nacional Libertadora (ANL) e nos textos escritos por Luis Carlos Prestes, Virgínio Santa Rosa e Caio Prado Jr. Argumento que a esquerda brasileira partia de um campo problemático comum, segundo o qual a concentração fundiária representava o maior obstáculo para expressão política do povo brasileiro. Contudo, a despeito da convergência em torno da reforma agrária, pensada como condição sine qua non para a democracia no Brasil, a esquerda desenvolveu duas respostas distintas para a realização prática do princípio do governo do povo: a primeira, que denomino vanguarda altruísta, presente com maior ênfase nos textos de Virgínio Santa Rosa e Luís Carlos Prestes, e a segunda, o participacionismo republicano, explorada nos escritos de Luís Carlos Prestes e, de modo mais ambíguo, nos Manifestos da Aliança Nacional Libertadora.

Wilson Gomes

"Media Bias" ou Por que o Noticiário Político é Parcial e Adversário

Sessão: SAT 59 | Imprensa e viés político na cobertura eleitoral

Área temática: 1 - Comunicação política e opinião pública

Apresentado em: quarta-feira, 6 de Agosto de 2014 - 16:30

Arquivo:

O trabalho pretende revisar e discutir a literatura internacional sobre o fenômeno do "media bias". Pergunte às pessoas se elas acham o noticiário tendencioso e a resposta predominante vai ser afirmativa. E o será em toda a parte do mundo, mesmo naqueles lugares que todo mundo concorda que os meios de comunicação funcionam em favor da democracia: as pessoas tendem a qualificar o “bias” como distorção adversária – não é que os meios tenham, para a maioria de nós, as suas inclinações; na verdade, o sentimento mais difuso é que os meios de comunicação sejam, na verdade, tendenciosos. A pergunta mais conseqüente, depois do registro da disseminação desta sensação, é saber se ela tem fundamento na realidade. É mesmo verdade que a maior parte dos noticiários, dos veículos e das matérias seja tendenciosa? A sensação de que o noticiário é distorcido poderia ter alguma outra origem além do fato simples e puro de que o noticiário é predominantemente tendencioso?

Wladimir Gramacho

Estudo Brasileiro de Mídia: Um panorama dos hábitos de uso e consumo dos meios de comunicação pela população brasileira

Sessão: SAT 73 | Mídia e comportamento político-eleitoral

Área temática: 1 - Comunicação política e opinião pública

Apresentado em: quinta-feira, 7 de Agosto de 2014 - 14:15

Arquivo: estudo-brasileiro-midia-panorama-dos-habitos-uso-e-consumo.pdf

O paper tem o objetivo de apresentar resultados recentes de pesquisas de opinião sobre uso de mídia no Brasil. Em novembro de 2013, a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República do Brasil concluiu a mais abrangente pesquisa sobre hábitos de uso dos meios de comunicação pela população brasileira com 16 anos de idade ou mais. Foram entrevistados 18.300 indivíduos, com amostras representativas para todo o País e para cada uma das 27 Unidades da Federação, compondo o retrato mais representativo até aqui da audiência brasileira aos meios de comunicação. O questionário cobriu aspectos gerais sobre preferências e padrões de uso de diferentes meios (TV, rádio, internet, jornais e revistas), posse de equipamentos (conexão doméstica à internet e TV paga, por exemplo) e preferência por diferentes veículos (programas de TV, estações de rádio, sites, blogs, redes sociais e títulos de jornais e revistas), entre outros temas. A principal questão aqui é: como se dá o consumo de mídia atualmente no Brasil? Este trabalho tem, portanto, um caráter descritivo e exploratório.

Ygor Rafael Leite Pereira

O papel do TCU na transparência das políticas públicas do governo federal: Um estudo sobre os gastos públicos para a Copa do Mundo FIFA de 2014

Sessão:

Área temática: 22 - Instituições Políticas 6

Apresentado em: quinta-feira, 7 de Agosto de 2014 - 18:30

Arquivo:

O trabalho proposto tem o interesse de analisar o papel desempenhado pelo Tribunal de Contas da União na avaliação de políticas públicas realizadas pelo Poder Executivo sobre a Copa do Mundo FIFA de 2014. Para isso, serão analisadas de forma quali-quantitativa os acórdãos e as decisões emitidas pelo Tribunal. Essa análise permitira verificar a contribuição que o TCU oferece para que o Poder Legislativo cumpra seu papel de fiscal das contas (accountability horizontal) do Poder Executivo. Parto da hipótese que o TCU é o principal agente que contribui para a transparência da burocracia e das políticas públicas realizadas pelo Executivo. Devido as suas prerrogativas constitucionais e ao corpo técnico especializado, essa instituição contribui para fortalecer a relação de controle e fiscalização do Legislativo sobre o Executivo, favorecendo os princípios democráticos. Esse estudo visa contribuir com o fortalecimento dos estudos sobre transparências e publicidade dos atos governamentais e sobre a contribuição que as instituições de controle externo dão ao processo democrático, dessa forma a sociedade civil pode obter informações e realizar uma avaliação sobre as políticas públicas realizadas pelo Executivo.