sessão de pôster
-
13

Eleições e Representação Política 2

terça-feira, 5 de Agosto de 2014 - 18:30

Debatedores

Clara Araújo (UERJ - Universidade do Estado do Rio de Janeiro)

Apresentações

Sentimentos Partidários e Igualdade de Gênero no Brasil

Dados apresentados por diferentes organizações internacionais denunciam um quadro de sub-representação feminina no cenário político nacional. Tentativas preliminares de explicação têm sido propostas, mas existe um consenso sobre a natureza multicausal do fenômeno, que envolveria fatores estruturais, institucionais e culturais. Este projeto tem como proposta analisar a interface entre as organizações políticas e a cultura política dos cidadãos, analisando os sentimentos partilhados pelos indivíduos em relação aos dois maiores partidos no cenário nacional, identificando a existência de possíveis associações entre disposições favoráveis ao voto em mulheres e sentimentos partidários positivos em relação aos principais partidos brasileiros (PT, PSDB, PMBD, entre outros), verificando também outros fatores que contribuiriam para o voto em mulheres. Este estudo vale-se dos dados coletados pelo ESEB, na terceira onda de pesquisa pós-eleitoral.

Audrey Karoline Marques Dias
A atuação dos deputados evangélicos na 53ª legislatura da Câmara dos Deputados do Brasil: Comportamento religioso ou partidário?

Desde a redemocratização do país, os evangélicos vem ampliando significativamente os seus espaços de atuação na sociedade brasileira. Contrariando a imagem de que o evangélico é apático à política, passaram a lançar candidaturas próprias, com visibilidade a partir das eleições para o Congresso Constituinte em 1986. Contudo, apesar da presença desses parlamentares evangélicos na política partidária, não há no Brasil um partido evangélico. Ou seja, as demandas dos grupos evangélicos no Brasil não são canalizadas por um único partido. O presente artigo tem por objetivo avaliar em que direção o deputado evangélico tem orientado sua atuação na Câmara dos Deputados do Brasil. Dessa forma, buscamos responder a seguinte pergunta: Como o deputado evangélico tem expressado suas preferências nas votações nominais e em suas proposições, de acordo com o partido ou mais próximo das convicções religiosas? A nossa hipótese é que os deputados evangélicos, apesar de formarem uma bancada evangélica suprapartidária, votam e propõe de acordo com o seu partido político. Analisando as votações nominais e as proposições da 53ª legislatura (2007-2011) dos parlamentares evangélicos, os resultados parciais alcançados sugerem a confirmação de nossa hipótese.

Priscilla Leine Cassotta
A influência das mulheres: do âmbito partidário às aplicações legislativas

Essa proposta analisa o processo de inclusão da mulher na política brasileira, considerando a necessidade de garantir maior representação a esse segmento. A mulher conquista paulatinamente seu espaço no cenário político nacional tendo como marcos desse processo o sufrágio universal e a instituição de cotas políticas.
No entanto cabe ainda analisar se de fato a mulher consegue estabelecer projetos de lei e conquistar espaço frente a uma estrutura de executivo mais centralizadora em relação ao legislativo e se há dentro das estruturas político partidárias recursos capazes de favorecer e de conduzir as mulheres a eleição.
Com base na política inclusiva que o país tem desenvolvido desde a reabertura política com o retorno da democracia, este trabalho tem como objetivo analisar os pleitos entre os anos de 1994 a 2014 a fim de criar dados passiveis de comparações com relação à evolução da inclusão feminina na política brasileira e a sua participação. São considerados para isso a capacidade dessas candidatas e suas performances em relação a atuação política que desempenham, considerando a participação em comissões e as proposição de projetos de lei.

Mayara Spinace Costacurta
Os efeitos do associativismo no desempenho parlamentar feminino

O trabalho proposto integra uma pesquisa de mestrado em desenvolvimento que tem por objetivo geral aprofundar a discussão sobre associativismo, democracia e gênero, a partir de dados quantitativos que apontam a presença de vínculos associativos em deputadas federais referentes as legislaturas de 2003 a 2011. Assim, as variáveis investigadas relacionam a atuação parlamentar dessas mulheres e a sua relação com a participação em associações.
Para analisar os potenciais das associações à democracia parto da analise de Mark Warren sobre o associativismo. O autor argumenta que as associações podem disponibilizar diferentes habilidades individuais e distintos efeitos democráticos. Desse modo, identifico na recente bibliografia sobre representação e participação política a discussão sobre as novas formas de engajamento na esfera pública, as principais referencias são os trabalhos de Hanna Pitkin, Iris Marion Young e Nádia Urbinati. A partir dessa bibliografia estou analisando no site da Camâra Legislativa as atividades parlamentares desenvolvidas pelas deputadas, assim, pretendo avançar a investigação buscando construir um diagnóstico do desempenho parlamentar feminino a partir dos efeitos associativos.

Ana Paula Cavalcante Limão da Silva