sessão de pôster
-
14

Política Internacional 1

terça-feira, 5 de Agosto de 2014 - 18:30

Debatedores

Marcelo de Almeida Medeiros (UFPE - Universidade Federal de Pernambuco)

Apresentações

A Ameaça Norte Coreana e os Desafios para a Desnuclearização do Nordeste Asiático

Nos últimos anos, o governo norte coreano tem apresentado comportamentos dúbios, em sua política externa, quanto às suas intenções de se consolidar como estado nuclear, ou entrar em um diálogo sobre um possível processo de desnuclearização regional. A sucessão de diálogos, barganhas e testes nucleares, desde 2006, tem feito da Coréia do Norte um país pouco confiável, trazendo um debate acerca das razões para tal conduta.
As suas intenções, refletidas no seu comportamento desafiador à comunidade internacional e às potências nucleares através de contínuos testes nucleares, têm gerado crises regionais de impacto internacional, dificultando o possível estabelecimento de uma zona livre de armas nucleares na região. Assim sendo, este estudo objetiva analisar os motivos para tal posicionamento, tendo como pretexto o seu programa nuclear. Pretende-se discutir as implicações para o país a partir das crises por ele iniciadas, considerando o seu regime político fechado, e sua busca por inserção internacional no pós- Guerra Fria. Esta pesquisa terá como base a Teoria Crítica das Relações Internacionais que permite analisar o comportamento de atores periféricos e sua incidência no contexto da Segurança Internacional atual.

Cristian Pires Coelho Martins
Bottom up: O princípio da ijtihad como ferramenta de articulação para uma Zona Livre de Armas Nucleares no Oriente Médio

Esta pesquisa pretende analisar o estabelecimento de uma Zona Livre de Armas Nucleares (ZLAN) no Oriente Médio, com enfoque em Israel, Síria, Iraque e, em destaque, o Irã.
Com a mudança do presidente em 2013, o Irã se mostrou à Comunidade Internacional mais aberto aos diálogos sobre seu programa nuclear. Isto sinaliza uma retomada da interlocução entre o bloco islâmico e o ocidente, o que veio a repercutir na possibilidade de estabelecer acordos sobre uma redução das sanções que a ONU tinha imposto ao país pelo avanço de seu programa nuclear.
Este projeto pretende analisar de que forma o princípio da ijtihad tem sido aplicado na atualização das instituições iranianas, empurrando o país para uma maior inserção no sistema internacional. Para tanto, a discussão será desenvolvida através da teoria construtivista das relações internacionais na visão de Wendt, pelo fato de poder apreciar a estrutura das identidades que adquirem cada vez mais relevância no contexto regional. Desta forma, são relacionadas a modernização iraniana com a discussão de uma agenda política internacional que também se reinventa do ponto de vista dos desafios de articulação de uma ZLAN no Oriente Médio com os diferentes agentes inicialmente propostos.

Giovani Benito Mena del Prete
Considerações sobre a Disputa Hegemônica entre Estados Unidos e China no Alvorecer do Século XXI

As relações sino-americanas serão, talvez, o mais importante conjunto de relações no futuro próximo. Elas tenderão a moldar o quadro das relações internacionais nas próximas décadas e quase todos os outros conjuntos de relações poderão ser considerados sob a perspectiva do quadro sino-americano. A Ásia Oriental, sob o impacto da ascensão da China na região, é um palco de disputa nas relações entre os dois países no novo século. Atualmente a China é vista como uma potência regional e tem exercido tamanha influência no cenário internacional que tem até mesmo sido alvo de especulações quanto aos possíveis intentos em tornar-se a grande potência mundial hegemônica, substituindo os Estados Unidos. Independentemente das especulações e dos debates que envolvem esse tema, analisar este processo é de grande relevância para a compreensão das políticas internacionais articuladas pelo governo chinês, não excluindo o olhar atento do papel político desenvolvido pelos Estados Unidos sob a estratégia de "Um Século Americano na Ásica-Pacífico".

Thais Caroline Lacerda Mattos
Democratização e Representação Política no MERCOSUL

O presente resumo aqui apresentado é resultado do trabalho de pesquisa acadêmica, ainda em andamento, em nível de mestrado dentro do Programa de Pós Graduação em Ciência Política da Universidade Federal de Pelotas. A pesquisa procura analisar a democratização política no espaço transnacional a partir dos processos de integração regional, com foco específico no Mercado Comum do Sul e em dois de seus principais organismos de representação política: o Parlamento do MERCOSUL e o Foro Consultivo Econômico-Social.

Rafael Cesar Ilha Pinto