sessão de pôster
-
24

Cultura política e democracia 2

quinta-feira, 7 de Agosto de 2014 - 18:30

Debatedores

Ednaldo Aparecido Ribeiro (UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina)

Apresentações

Política e Gênero na América Latina: estudo sobre as dimensões subjetivas da sub-representação feminina

As desigualdades encontradas na representação política dos gêneros constituem sérios entraves para a vitalidade das democracias contemporâneas, o que limita e condiciona o desenvolvimento da promoção da igualdade em outras áreas da vida social. Por isso, o quadro de sub-representação feminina impacta negativamente a qualidade democracia latino-americano. Assim, partimos de uma análise multicausal que se baseia nos elementos culturais e subjetivos resultantes dos processos sociais e econômicos, tendo a cultura política como um aspecto cultural relevante da estrutura das sociedades, para se investigar esse fenômeno. Para tanto, utilizou-se a base de dados do Latinobarómetro dos anos de 2006 a 2010 e se verificou que há uma tendência de mudança positiva na cultura política latino-americana, sendo mais democrática. Há também, tendência de incorporação de disposições mais favoráveis ao empoderamento político feminino no período analisado. Desta forma, somos levados a concordar que há uma íntima relação entre a constituição de uma cultura política democrática e a manifestação de posturas mais tolerantes e igualitaristas, especialmente no que diz respeito às relações entre os gêneros.

Renata Andrade de Oliveira
Valores, crenças e preferências da elite empresarial brasileira em relação à política e democracia

O objetivo deste trabalho é apresentar análise sobre valores, crenças e preferências do empresariado brasileiro acerca da política e democracia. Destaca-se o empresariado industrial. Espera-se, com isso, apontar, ainda que preliminarmente, para formas de organização e ação política, além de compreensão do comportamento, do empresariado. Compreende-se que as formas com que o empresariado pensa a política, atendo-se à democracia e as instituições deste regime, podem indicar suas preferências e ações, assim como influência no processo decisório. Entretanto, tendo-se um campo muito abrangente, delimita-se, neste trabalho, a atuação empresarial por meio de entidades de representação política do empresariado. Esta atuação faz com que se passe a denominar tais entidades pela noção de elite empresarial. A metodologia empregada para este painel será revisão da teoria e da pesquisa empírica acerca do tema dos valores, crenças, preferências e da ação política do empresariado. Apresentar-se-á, também, a possibilidade analítica sobre os anuários legislativos de entidades representativas desse empresariado. Por este meio, buscar-se-á apresentar essa elite como grupo de interesse que identifica e valoriza uma relação plural com o legislativo.

José Augusto Hartmann
A questão étnica importa para a democracia brasileira

O presente trabalho tem por objetivo verificar os indicadores de sustentação do regime democrático a partir da declaração étnica do cidadão brasileiro. As informações foram obtidas no banco de dados do Latinobarmetro para o ano de 2010. Para atingir o objetivo serão realizados cruzamentos da variável de declaração étnica do entrevistado com variáveis sobre a sustentação da democracia, como apoio e satisfação com o regime. Partiremos do seguinte problema de pesquisa: Existe diferença de atitudes e comportamentos em relação à democracia considerando a etnia da população estudada? Parte-se da hipótese de que os cidadãos brasileiros tem uma percepção diferenciada acerca da democracia considerando sua etnia. Embora todas as etnias declaradas (asiático, branco, indígena, mestiço, mulato e negro) tenham uma preferencia pela democracia a outros regimes, existe uma diferença quanto sua satisfação com o regime democrático devido ao contexto histórico de servidão, escravidão e imigração de cada etnia e a sua atual situação social.

Daiana Lopes Dias
Cultura política no Pampa

O estudo foi desenvolvido a partir do projeto de pesquisa Cultura Política em São Borja, financiado pelo Programa de Bolsas de Desenvolvimento Acadêmico (PBDA) da Universidade Federal do Pampa, em 2013. A pesquisa tem por principal objetivo obter um mapa da participação e da cultura política em São Borja, a partir de uma coleta de dados por questionário conforme a típica análise survey, buscando oferecer um quadro pormenorizado dos tipos e níveis de participação e cultura política. Entre as várias ferramentas de análise, foi criado um índice que intitulamos de «civicness» representando uma atitude cívica, em termos de participação cidadã por parte dos entrevistados. A média é geralmente baixa, assim como alguns elementos críticos referentes à confiança institucional. Destacando que: 43,8% dos são-borjenses entrevistados abririam mão do voto se este não fosse obrigatório; somente 19,8 % são filiados a algum partido; no voto para vereador 77,8% escolhe seu candidato pela pessoa, independente do partido ao qual está filiado; entre outros. O estudo da cultura política local se torna muito importante para compreender o funcionamento das instituições e da democracia, assim pelo caso da região do Pampa, mais especificadamente São Borja.

Fernanda Mattos de Lima Valença
Confiança Institucional e sua Influência no Regime Democrático

A confiança é vista por vários estudiosos como a base da participação política. Os cidadãos procuram o provimento de suas necessidades e as instituições baseiam-se na confiança a elas conferidas pelos cidadãos para o abastecimento dessas necessidades. Verifica-se, portanto, a importância da confiança nas instituições democráticas. Os cidadãos devem aceitar e se identificar com as normas que formam as instituições, para que haja confiança nas mesmas. Diante disso, ressalta-se a importância do bom funcionamento das instituições para o crescimento do nível de confiança institucional. As instituições em um regime democrático têm o papel de espaços de discussão, argumentação, debate e/ou adjudicação de reconhecimento, redistribuição e revisão das regras das próprias instituições. Entretanto, estudos mostram que, de maneira geral, os brasileiros têm pouca confiança em políticos e nas instituições democráticas e este índice continua diminuindo, entretanto continuam preferindo a Democracia a outro regime. Deste modo, o objetivo deste trabalho é demonstrar que a baixa confiança institucional nas instituições afeta negativamente a qualidade da democracia, mas não coloca em risco o regime democrático.

Sâmya Nagle de Oliveira Sousa
Economia e poder: a utilização da economia como recurso estratégico político partidário no Rio Grande do Sul pré-redemocratização brasileira (1965 - 1979)

Neste trabalho propomos o estudo da influência econômica no desenvolvimento da política partidária no Rio Grande do Sul, no período que compreende de 1965 a 1979, tempos antes da redemocratização. Diante disso, buscamos demonstrar como fora a organização entre os partidos no Estado gaúcho e a utilização da economia como recurso para obtenção de apoio popular na política. Assim, verifica-se que mesmo esta participação não ser a ideal, mas com o desenvolvimento industrial no Estado, permitiu que a organização social nos centros urbanos, de crescimento contínuo, permitisse o uso de tal recurso. Com análise de dados obtidos em diversas fontes foi possível constatarmos a relevância da economia como recurso estratégico para a política do Estado gaúcho.

Juliana Macedo de Lima