sessão de pôster
-
30

Política Internacional 2

quinta-feira, 7 de Agosto de 2014 - 18:30

Debatedores

Carlos Schmidt Arturi

Apresentações

Em meio a alianças e retrocessos: A relação EUA- UNESCO e os impactos gerados na organização

Trata-se de uma pesquisa de dissertação em execução que pretende estudar de que maneira a política externa americana influencia a UNESCO e os projetos que a instituição visa desenvolver. Trabalha-se com a lógica de que os EUA têm um poder de decisão maior entre os demais estados membros da organização em função dos vultosos financiamentos destinados a mesma. Em função dessa preponderância estadunidense, o posicionamento contrário dos EUA a determinadas políticas da UNESCO poderiam resultar em grandes impactos como, por exemplo, o corte ou redução de financiamento de projetos internacionais, ou o afastamento dos EUA da instituição. Toda essa questão culminaria em um problema, o enfraquecimento ou o declínio institucional o qual poderia ser observado também a partir da redução do número de projetos desenvolvidos. Assim o objetivo que se pretende demonstrar é definido pela interação entre EUA e UNESCO, buscando compreender de que maneira os estadunidenses afetam a instituição, ou qual dinâmica se conformaria quando os EUA se afastam da UNESCO ou se posicionam contrários a ela, no período que vai de 1984 a 2013.

Jéssica Silva Fernandes
FIFA e Governança Global: reflexos das assimetrias de poder

Em um mundo globalizado novas formas de governança vêm surgindo, apoiando-se na defesa da democracia, paz e direitos humanos. Neste contexto, o esporte tem sido projetado como uma alternativa para o bem estar social, particularmente, o futebol - considerado um “esporte das massas”. O consumo e o investimento nesta atividade esportiva aumentam consideravelmente a cada ano e a Fédération Internationale de Football Association (FIFA) destaca-se como um ator hegemônico e poderoso dentro da Governança Global. Responsável por alguns dos maiores eventos do planeta, possuindo mais países filiados do que as próprias Nações Unidas, a FIFA se tornou a entidade máxima do esporte mais praticado e popular que existe, utilizando-o como produto e lucro para o turbocapitalismo, ao tempo em que exerce uma influência sem precedentes nos âmbitos nacionais através da legitimidade que possui. No contexto das Relações Internacionais contemporâneas e seus novos atores, a pesquisa analisa a FIFA como um ator da sociedade civil global, com poderes econômico e político nos meandros nebulosos da governança global, observando o déficit democrático na entidade - em oposição ao seu discurso -, a ingerência que exerce sobre os Estados e sua atuação junto à ONU.

Juliano Oliveira Pizarro
Os BRICS e a VI Cúpula

A pesquisa em andamento reflete sobre a participação do Brasil no bloco de cooperação econômica BRICS, considerando trajetórias e atuação política-econômica dos países parceiros no desenvolvimento internacional. Estuda a função BRICS atentando para agenda internacional, conceitos e prioridades que orientam as políticas de inserção, percebendo manifestações de cooperação e coalizão. Particularmente, o trabalho irá considerar resultados teóricos e empíricos da VI Cúpula BRICS, reunião que se dará em julho/2014, Fortaleza-CE, tendo como foco decisões dos líderes governamentais para formação do Banco de financiamento BRICS. Para realizar estratégia de pesquisa, consideramos os resultados obtidos pelos sites oficiais, BRICS Policy Center-Centro de Estudos e Pesquisas BRICS; Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI); Centro de Estudos de Integração e Desenvolvimento (CINDES), além do acompanhamento das entrevistas e declarações oficiais produzidas na reunião da VI Cúpula. Autores especialistas na temática, tais como os cientistas político Carlos S. Arturi (2013), Marcelo de Almeida Medeiros (2011), Paulo Henrique Chamon (2012) Paulo Esteves (2004), Carlos Frederico da Silva Gama (2010), formaram a base reflexiva do trabalho.

Fabiana Ximenes Barros
Os efeitos políticos da reação internacional ao terrorismo no pós-11/09: o caso da Organização de Cooperação de Xangai

As percepções quanto o terrorismo pós 11/09 foram influenciadas pela Guerra contra ao Terror do governo norte-americano, cujos efeitos políticos relacionam-se à militarização do contraterrorismo globalmente. Os objetivos desse trabalho são a) Discernir a conceituação analítica de terrorismo da normatização do termo e de seu uso político, identificando zonas de aproximação e distanciamento entre essas definições, explicitando que não há um novo fenômeno terrorista contemporâneo. b) Descrever o processo de securitização do terrorismo pós-11/09 e suas consequências, como o impacto potencial sobre as políticas contra o terrorismo. c) Empreender estudo de caso da Organização de Xangai, com o intuito de analisar a concepção de terrorismo dessa organização e a forma de contraterrorismo adotada, explicitando os impactos políticos da “Guerra contra ao Terror” na Ásia Central.

Luciana de Rezende Campos Oliveira
Políticas regionais para a situação das crianças soldado na América do Sul: o caso da Colômbia

A Colômbia está entre os 5 casos críticos de uso de crianças soldado em seu conflito interno que já dura mais de 20 anos. Esse pôster apresentará quais são as políticas regionais existentes para a proteção das crianças envolvidas nessa situação e qual seu impacto, considerando ainda e a influência dos recrutamentos forçados de menores nos fluxos migratórios da América do Sul. Utilizando como referencial teórico as três vertentes de proteção da pessoa humana, o objetivo central desse trabalho é entender melhor as dinâmicas envolvidas no tema do recrutamento forçado na América do Sul e suas especificidades. Isso se mostra de extrema relevância acadêmica visto que as poucas pesquisas sobre o tema concentram-se em casos africanos e não consideram as peculiaridades do caso latino-Americano.

Patrícia Nabuco Martuscelli