sessão de pôster
-
05

Instituições Políticas 2

terça-feira, 5 de Agosto de 2014 - 18:30

Debatedores

Filipe Souza Corrêa (UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais)

Apresentações

Carreira política e perfil social dos prefeitos do PT no RS (1988-2013)

Estudo sobre a carreira política e o perfil social dos prefeitos eleitos pelo PT, no Estado do Rio Grande do Sul desde sua fundação até a última eleição, em 2013. A análise do perfil social e da trajetória política desses prefeitos sinalizará a forma de recrutamento desses atores políticos.
O resultado dessa pesquisa possibilitará evidenciar se há uma trajetória comum entre os prefeitos eleitos pelo PT no Rio Grande do Sul. Também será possível verificar, se há um caminho a ser percorrido para que um candidato seja eleito prefeito pelo Partido dos Trabalhadores, no RS.
Os objetivos da investigação são: Identificar todos os prefeitos eleitos pelo Partido dos Trabalhadores no Rio Grande do Sul e o perfil social de cada um deles; Identificar a tendência (grupo político) ao qual pertencem os prefeitos eleitos pelo PT; Identificar e analisar as diversificações regionais, nas eleições dos prefeitos petistas, bem como se há algum elemento do perfil social e da trajetória percorrida por eles, que repercutiu nos resultados eleitorais.

Daniel de Souza Lemos
Estudo comparado: os Conselhos de Desenvolvimento Econômico e Social dos municípios de Canoas e Erechim

Este trabalho tem como propósito examinar as experiências institucionais dos CDES dos Municípios de Canoas e Erechim no Estado do Rio Grande do Sul. O principal objetivo é analisar a estrutura, composição e dinâmica de funcionamento dos mesmos, averiguando qual o grau de representação política e social dos respectivos governos e da sociedade civil organizada em seu âmbito e qual a influência desta representação sobre a agenda destes conselhos.

Metodologia (Método Comparativo)
Procedimentos Metodológicos
Parte-se da análise documental dos regimentos internos e da lei de criação destes conselhos, bem como do estudo comparativo de suas estruturas, composição e dinâmicas de funcionamento inicial. Ênfase será dada aos perfis da composição destes conselhos, sobre o seu grau de representatividade e capacidade de influir sobre a agenda, ou temáticas abordadas por eles. Limitaremos a análise ao primeiro mandato, Erechim (2009/10) e Canoas (2009/10). Ver a agenda detalhada dos temas abordados no âmbito destes Conselhos no período (Reuniões Plenárias – Pauta); Reunião de Grupos de Trabalhos Internos (Pauta). Por fim, contextualizar a real importância dos conselhos para a tomada de decisões do poder executivo.

Régis Michels Nazi
Migração no Congresso Federal: movimentações interpartidárias dos deputados

O presente trabalho se propõe a discutir a questão da migração partidária entre os deputados federais, antes e após a resolução do TSE nº 22.563 de 1º de agosto de 2007 (que proibia e estabelecia punições para troca de partidos não justificadas durante exercício de cargo proporcional). Para tal serão abordados, inicialmente, os pleitos de 2006, o último antes de se coibir o recurso de troca de partidos, e o período do pleito de 2010, o primeiro em que essa resolução estava em vigor e também a última eleição federal passível de análise pela data da pesquisa. O recorte também limitará a pesquisa aos partidos DEM/PFL, PMDB, PSDB e PT.
Em uma tentativa de propor explicações de quais seriam os incentivos para que os deputados continuem a fazer essas trocas, mesmo com o sistema de punição em vigência, nos utilizaremos do fator financiamento, analisando assim diferenças significativas nos investimentos que determinado candidato recebe para sua campanha após a troca de legenda.
Também serão analisados os casos nos quais os candidatos fazem a troca de legendas em períodos nos quais não estavam exercendo cargo proporcional, também buscando encontrar quais seriam os incentivos que levariam os candidatos a fazer uso desse mecanismo.

Flávio Henrique Machado Moreira
Amanda Modolin Balestrero
Para além das fronteiras, a competição eleitoral nos pequenos e médios municípios da Associação de Municípios do Setentrião Paranense (AMUSEP)

A partir do modelo teórico-metodológico da geografia social do voto, questiona-se como a relação entre prefeitos e deputados sob a ótica distributivista, influencia no grau de competição eleitoral nos pequenos e médios municípios da Associação de Municípios do Setentrião Paranaense (Amusep). Investiga-se a Amusep devido a sua capacidade de organização política-institucional e sua influência na arena legislativa e eleitoral. Partindo do pressuposto da normalidade na dominância/concentração e dominância/dispersão dos votos (Ames, 2003), que favorece a consolidação de redutos eleitorais, a pesquisa chama a atenção para o relacionamento entre o legislativo nas esferas estadual e nacional e os executivos municipais. Objetivou-se identificar se as práticas tradicionais presentes no modelo distributivista reduzem o número de participantes e, consequentemente, dificulta a renovação política. Toma-se como base os dados presentes no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), referentes às eleições de 2010 e 2012 e as variáveis obtidas através da elaboração de um survey com os deputados mais votados nos municípios estudados e os prefeitos eleitos, possibilitando a identificação do padrão de relacionamento a partir de técnicas estatísticas.

Francisco Verri
Celene Tonella