Entrevista: Confira os planos da nova diretoria da Regional Centro-Norte da ABCP

Na última edição da nossa série de entrevistas com as novas diretorias regionais da ABCP, recebemos a diretoria da Regional Centro-Norte, composta por Carlos Augusto da Silva Souza (Diretor Regional), Lais Forti Thomaz (Vice-Diretora), Camila Maria Risso Sales (Secretária Executiva Regional) e Roberto Goulart Menezes (Secretário Executivo Regional).

Abaixo, você confere as suas expectativas para o mandato 2019-2021.

O que os motivou a aceitar esse desafio e quais são as linhas prioritárias de ação dessa gestão?

O que nos motivou foi o interesse em estabelecer mecanismos mais eficientes para a integração entre as diversas instituições, entre os programas de pós-graduação e entre pesquisadores, discentes e docentes que atuam na região.

Como linhas de ação, pretende-se fortalecer a regional com campanhas para a identificação e inscrição de novos filiados, estabelecer mecanismos mais eficientes de comunicação, através da divulgação de informações de interesse da comunidade de CP e RI, criar fóruns de discussão sobre temas de interesse da área, além de fortalecer a luta pela democracia, pela manutenção do ensino público, da pesquisa e da liberdade de cátedra.

Desde uma perspectiva regional, quais seriam os principais desafios colocados hoje para o fortalecimento da Ciência Política?

Os principais desafios passam em contornar a ausência de investimentos que se vislumbra nos próximos anos e desenvolver estratégias de integração que atendam as necessidades e as especificidades dos diversos estados que compõem a regional. Desta forma, um desafio que se coloca consiste em expandir a atuação da área para todos os estados, de forma a contornar o problema da concentração de estudos e pesquisas, principalmente na região norte, onde a área, do ponto de vista acadêmico, ainda é pouco desenvolvida.

Além disto, pretende-se estabelecer a articulação entre os cursos de Relações Internacionais, Políticas Públicas e Ciência Política que atuam nas duas regiões.

E como espera contribuir para responder a esses desafios, a partir da Regional?

Fortalecer a participação dos estados que compõem a regional em eventos científicos que contam com o apoio da ABCP; possibilitar a formação de redes de pesquisa e cooperação entre os estados; propor a realização de eventos científicos voltados para a divulgação de pesquisas de professores e alunos que atuam na área; viabilizar a realização de cursos em temas de interesse dos cursos e PPGs existentes na região; e participação nos debates sobre a profissionalização da Ciência Política.

***

Acesse, também, as demais edições da nossa série de entrevistas com as regionais da ABCP:

Nordeste

Sudeste

Sul